Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

"Loanda - Escravas, Donas e Senhoras", de Isabel Valadão



« "No século XVII, duas mulheres deixaram o seu rasto na história da cidade de Luanda. À sua volta teria gravitado um sem-número de indivíduos, fidalgos, traficantes, degredados, escravos e libertos. Uns, foram personagens marcantes do seu tempo, outros, simplesmente anónimos no papel de figurantes, todos eles fazendo parte de um específico contexto historiográfico da colónia angolana. Se existiram realmente ou se foram, apenas, o retrato fugaz de uma época, não há certezas, embora tenham perdurado de alguns vestígios de memórias escritas."
Através do retrato de Maria Ortega e Anna de São Miguel, somos levados até Luanda do século XVII, ao encontro do percurso, queda e ascensão dos escravos exilados do reino português. Cruzando a História num ritmo narrativo forte e surpreendente, Loanda é um retrato vivo, marcado pela força das mulheres que deixaram o seu rasto nesse território.»

Um livro muito interessante que narra a história de vida de duas mulheres fascinantes, ao mesmo tempo que acompanha a história da capital angolana no século XVII, e nos permite viajar até uma época pouco conhecida da cidade de Luanda. Quem gosta de história não deve deixar de ler!





«Isabel Valadão nasceu na pequena vila de Paço de Arcos (Oeiras), mas foi para Angola em 1951, com seis anos de idade, tendo aí vivido até 1975, pouco antes de aquela antiga colónia portuguesa se tornar independente. Acompanhando os pais no seu périplo angolano, passou por diversas regiões, desde o Lobito a Malange, até se fixar em Luanda, cidade onde viveu a adolescência, casou e onde nasceram as suas duas filhas. Durante alguns anos foi analista química dos Serviços de Geologia e Minas em Luanda e secretária da revista angolana Notícia. Regressou a Portugal em 1976, depois de uma breve passagem pela África do Sul, onde a sua família se refugiou, na sequência dos graves acontecimentos que antecederam a independência de Angola. Viveu em Macau, regressando definitivamente a Portugal em 1986. Cascais foi o local escolhido para se fixar e aí viveu durante mais de trinta anos. Licenciou-se, aos 49 anos, em História da Arte, na Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa. Em privado, dedicou-se à investigação na área da Defesa e Conservação do Património, paralelamente à conservação e restauro de pintura. Vive actualmente na região saloia de Mafra, na companhia do marido, nove gatos e dois cães, uma doce Golden Retriever chamada Daisy e o Rudolph, um Samoyedo fantástico!»

Sem comentários:

Enviar um comentário