Pesquisar neste blogue

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Tabacaria, Fernando Pessoa

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário